NUMA MINHA NOITE ESCURA





















Na minha noite escura,
De ânimo inflamado...
Oh! ditosa aventura!
Deus veio sem ser notado!

Numa 'scuridão segura
E em pobre disfarçado,
Oh! ditosa aventura!
Veio, entrou sossegado!

Mas que noite tão ditosa
Que só minha alma via,
Essa Luz maravilhosa,
No meu coração ardia!

E essa Luz me guiava,
Clara como meio-dia,
Pr'onde Deus me esperava,
Lugar qu' eu não conhecia.

Eu tinha o peito ferido
E só o mal enxergava!
Eu andav' adormecido...
Sua Luz me refrescava!

E, sem saber, eu parei
Diante do Ser Amado:
Tudo do mundo deixei
E senti-m' aliviado!

Modesto

Comentários

Mensagens populares deste blogue

NASCESTE, FILIPA !

A VIDA TEM OUTRO SABOR

SALVEMOS O PLANETA