domingo, 6 de dezembro de 2015

A CANÇÃO DO RIACHO



















Ouço, ao longe, a canção dum riacho
Com seu destino de cantar tão vago.
E ao crepúsculo, canta bem mais baixo,
Porque a montanha se sobrepõe ao lago.

Vêm os raios do luar pró terraço
Onde eu, com alegria , os afago.
Fim do dia de trabalho, há cansaço...
Meditando nisto tudo, eu naufrago.

Pensando em alegrias e tristezas,
Lá vou chegando às minhas profundezas,
Pensando morar na 'strela da manhã.

O riacho canta e eu estremeço...
Há um espaço em mim e eu adormeço...
Acordo na beleza d' outra manhã!

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário

SONETO BEM CRIADO

Nestas linhas mal traçadas, Há um soneto partido E mágoas anunciadas: Ouve-se long' o gemido. Nas linhas, há al...