quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

AMOR AO ENTARDECER

















Belos momentos vivi,
Nesses dias que passei,
Construí sonhos por ti,
O meu coração te dei.

E, se em algo errei,
Perdoa, não percebi.
A ternura que ganhei
Vinha do céu e de ti.

Agor' ao entardecer,
Vamos dar as nossas mãos.
É tempo de aprender
A ouvir os corações.

Com alma embriagada,
Miscelânea d' emoções...
A tarde já começada
Aqueceu os corações.

Noss' amor é sempre quente:
Quero-te pra tod' a vida,
Pra viver ardentemente
Nosso amor sem medida.

E temos a consciência
De viver sem ilusões.
Aventura, inocência...
Une nossos corações!

Modesto

1 comentário:

  1. Oh, Modesto!!! O poema de uma vida!!! Não é o poema de um momento de sedução, de encanto fugaz, de criação poética...não...é a vivência de uma vida longa, recheada de amor e paixão...e ainda, o compromisso de que assim será...até ao fim!!! Parabéns, Lídia!!! O sonho de qualquer mulher...tornado realidade!!!

    ResponderEliminar

INCÊNDIO VELOZ

Corre mais que um atleta, mais depressa E corre tão depressa como o vento... Atrás de si, fica a treva espessa: O ten...