segunda-feira, 18 de agosto de 2014

POEMA MODERNO


















O verão estala por todos os poros
Da casca das árvores
Da língua dos cães
Das asas das cigarras

Rasga o céu de calor
Com raios de lanceta

O verão é limpo
Cheio de alegria
Tem um cheiro harmónico
Que fica todo o dia
Espero que fique feliz
Para isso peço bis

O que eu queria
Um cântico de lua
Num canto da rua
Com areia batida

Verão quente e suado
Amolece-me os sentidos
Traz-me o teu retrato
Devolve-me a certeza da tua ausência
Queima-me os poros embaraçados

À beira mar o vento abranda
O calor do sol assa
O silêncio que impera me diz tudo
Pelo suor sou movido

Campos tontos de luz
Árvores a dourar o dia
O dia está lindo com belas flores
As aves voam num céu ensolarado
Lotes de nuvens no latifúndio do céu

Na urgência da fantasia que me apressa
Enxugo o suor
Amasso-o nos dedos
A tua foto junto
A vida quente
O calor subindo
Rendido
Que as lembranças ainda se refresquem

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário

AOS RAIOS DO LUAR

Nos belos raios do luar, floria Rosa ideal, resplendor d' Halade! Erravam fluídos de harmonia Pela etérea, branca cla...