segunda-feira, 25 de agosto de 2014

FLOR DAS COLINAS


















Vives no meio da bruma,
Cheia de melancolia!
Tens corpo feito d' espuma
Da nuvem branca e fria.

Na doce tranquilidade,
Ao ver-te, tu me recordas
Uma lírica saudade
De teclados e acordes.

Mal chego, logo me olhas,
Dás carícias de sedas,
Sai-t' o perfume das folhas
Das pétalas amarelas.

Podes ser flor delicada,
Aberta, pareces ouro...
Tua cor amarelada
Vai reflectir-se no Douro.

Num silêncio vivido
Na colina solitária...
Apenas sentes ruído
Da cotovia diária.

É nesta linda paisagem
Que venho chorar a mágoa:
Ver-te sofrer na aragem
Fria... Olhos cheios d'água...

Ver-t' assim, todos soluçam
E tu 'stás sempre contente...
Pois sobre ti se debruçam
Os poetas e mais gente!

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário

TRAZER O "SER" LIBERTO

Da gota d' água dum carinho agreste Geram-se os oceanos da bondade. O coração qu' é livre e bom reveste Todo o...