quinta-feira, 16 de agosto de 2012

O VERÃO
















O Verão, imaginoso, apaixonado
E lascivo... com frémito de Musset,
Como episódios de D. João apaixonado,
Como Byron, mistura terror secreto...

É esplêndido com uma oriental
Qu'aparece como canto utilitário...
Searas maduras, frutos no seu final,
Traz-nos à mente poema imaginário.

Tudo é lirismo que traz harmonia.
Abundam flores, poesia. Natureza...
Formas variadas, concepções de fantasia.

Multiplicam-se imagens reflectidas nos céus,
As águas reflectem a luz da beleza...
O orvalho, como lágrimas, sorri do adeus!

Modesto


Sem comentários:

Enviar um comentário

ORIENTA-ME, ESTRELA DA MANHÃ !

Eu te procuro, doce estrela a manhã Que no lusco-fusco d' aurora 'stá desperta, Por vezes, no meio de nuvens c...