Follow by Email

domingo, 28 de agosto de 2016

PASSEIO PELOS MONTES




















Por montanhas, vales... tudo nevoento,
Toda a paisagem num burel de bruma...
Bocejo de tédio e desalento
Qu' ora se adensa, ora se esfuma.

Alta planície além se apruma,
Num cabeço de monte que se vê lento,
Correm, além, turbilhões de espuma
E um rio serpenteia com alento.

Desperta a minh' alma adormecida,
A tristeza foi-se, algo me convida,
Numa ânsia e emoções estranhas.

Depois duma tristeza indefinida,
Vem o sol! Tão bela sua aparecida...
São tão belos estes vales e montanhas!

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário