sábado, 20 de dezembro de 2014

FLOR SERRANA


















Há uma flor, na serra, pobre e singela
Que nasce no mato ao abrir do sol nado.
É uma flor sem nome, humilde aquela
Que sorri, meiga e bela, junt' ao coutado.

Um raio de luz a criou e tornou bela
E nela pousa um pintassilgo dourado
Ou a borboleta branca e amarela
E que vivem lá pelo mato orvalhado.

Jamais alguém ousou chamá-la pelo nome,
Nem em vaso de bronze ou fina porcelana:
Nasce, encanta, alegra e não consome.

Vive à luz do sol, resiste às noites frias,
Acarici' a lua e fauna serrana,
Dá à paisagem suas pétalas macias!

Modesto



Sem comentários:

Enviar um comentário

AOS RAIOS DO LUAR

Nos belos raios do luar, floria Rosa ideal, resplendor d' Halade! Erravam fluídos de harmonia Pela etérea, branca cla...