sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

FLOR DA SERRA























No Alto do Facho, vejo, com surpresa
Estranha flor, num velho tronco adusto,
Meiga e rústica a sua beleza...
Baixo-m' e colho-a quase a custo.

Tem um azul de céu, a bela turquesa,
Como borboleta, rostinho vestuto,
Ilusão poética da natureza...
Ia guardá-la, mas apanhei um susto!

Com o vento, um ramo deixa-a morta!
Flor azul, flor linda e desconhecida,
Efémera visão, como seda se corta.

E ficou em mim esta grande lembrança:
Tudo o que se vê uma vez na vida,
O que se perde, nunca mais se alcança!

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário

VENDO-NOS AO ESPELHO

O espelho não me diz que envelheço, Enquanto andar junto da mocidade. Mas as rugas vêem meu rosto impresso... J...