segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

FIM DO OUTONO


















Fim do Outono... Só folhas mortas.
A lareira substitui o sol ardente,
Porque tudo fecha as suas portas
E a neve faz as árvores tortas...
Fim do Outono faz o sol doente!

Fim do Outono... Não há flor nos montes.
Os rios dão-nos inquietação.
Aumenta forte o cantar das fontes
E é preciso cuidar das pontes...
Para não verter lágrimas no chão!

Fim do Outono e as folhas mortas,
Sol doente, neblina, nostalgia...
Frio! E tudo se perde nas hortas!
As tristes fontes abrem suas portas...
O sol, agora, 'stá em agonia!

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário

O CÉPTICO TAMBÉM PENSA...

Deus há muito desceu no Ocidente, Lá, por trás dos montes de rosa tingidos... Vejo o mundo que ante mim s' estende ...