Follow by Email

quarta-feira, 17 de maio de 2017

SONHO, SIM!
















Ainda sonho, sim! Não sou capaz
De pôr freio à imaginação!
Minh' alma tem asas: Forte, audaz,..
Romperei grades de qualquer prisão!

Há horas d' anseio, horas de paz,
Sucumbe fácil o meu coração...
Mantenho a coragem pertinaz
D' abrir as asas e largar o chão!

Entre ódios, guerras, fomes, baixeza,
Sonhos são baluarte de defesa,
Trazem à alma o discernimento.

Não fora o sonho qu' é sal da vida,
Exp'riência cruel, dolorida...
Viver seria frustração, tormento!

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário