sexta-feira, 26 de maio de 2017

SONHO OU PESADELO



















Vou morrer de lágrimas de encanto,
Mas só quando a dor tiver cessado.
Quando toda a pena for de pranto,
O amor é canto inacabado.

E a vida traz-nos o desencanto
Com um velho sonho já acabado.
Mas esta luta faz-se sempre canto
E, depois, termina num belo fado.

Não há quem viva sem os pesadelos
- Razão porque branqueiam os cabelos -
Escondidos nas dobras dos lençóis.

É neles que se sonha docemente,
Antes, o sol já se pôs no poente,
O sol que procuram os girassóis.

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário

INCÊNDIO VELOZ

Corre mais que um atleta, mais depressa E corre tão depressa como o vento... Atrás de si, fica a treva espessa: O ten...