Follow by Email

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

SECARAM OS MEUS VERSOS



















Tanta 'spera desfaleceu meus versos
Pobres desarmados e reprimidos.
A grand' angústia fez-me disperso...
Será que secaram, foram vencidos?

Fieis a mim, meus versos se calaram
Como amigo vê a dor do outro?
Soltei meus versos que tanto amaram
E abandonaram-me: Fiquei solto!

No correr do tempo impiedoso
Como cresci, oh céus, no maior gozo
Que a poesia tanto of''recera...

Eu curvo-me em acto de clemência,
Imploro pla minha tola ausência...
Neste poema, Minh' alma s' encerra!

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário