Follow by Email

terça-feira, 28 de outubro de 2014

TARDE DE NEVOEIRO















Veio nevoeiro cobrir a terra inteira.
Parece que pousa na terra o próprio céu!
Senti uma andorinha prisioneira
Por um milhafre que sobre ela desceu.

A tarde é moldada p'las negras imagens.
Ficam os olhos a piscar par'cendo um rio...
Cada vez mais dens' a noite faz da paisagem,
Montes com perfil ascético e sombrio.

Vou pensando em tudo o que me envolve:
Os jardins, árvores, montes e os rochedos...
É só um sonho: A névoa não se dissolve
E quebra a luz... Só há sombras e há medos.

Eu sinto-me tão ausente e tão distante,
Qu' um sonho me parece a real vida!
O nevoeiro aumenta a cad' instante,
A minha própria sombra é indefinida...

Modesto


Sem comentários:

Enviar um comentário