quarta-feira, 8 de outubro de 2014

DESEJOS


















Guardei os meus desejos em trincheiras,
Pensei que estavam em segurança.
Eles tinham pretensões aventureiras...
P'la liberdade fizeram aliança!

E fugiram com os pássaros prementes,
Foram pelo mundo em interacção.
E eu, então, suspirei condescendente,
Deixei que eles fossem sem direcção!

Mas... Desejos à solta, não é viável
E até é uma acção condenável:
Querem tudo o que encontram no mundo!

A essência tem que se completar
E só depois os desejos afirmar,
Pra se poder viver em amor profundo!

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário

AQUI MOROU MEU REI

Aqui morou um rei quando, menino, Vestia um castanho algodão. A pedra da sorte do meu destino Pulsava junto ao meu cora...