Follow by Email

terça-feira, 16 de agosto de 2011

FUI PELOS CAMPOS FORA

Fui passear campos fora,
À procura de cultivo:
Encontrei terra que chora,
Por não produzir seu trigo!

Andei mais um bom bocado,
Não vi beleza nem brilho:
Só vi campos com silvado,
Ond'antes havia milho!

Fiquei muito desgostoso
E vim embora tristonho:
Vi um jardim majestoso
Abandonad'em seu sonho!

Nele havia muitas rosas
A exalar seu perfume,
coloridas e briosas
Lembram antigo costume!

Havia botões a abrir,
Oh! beleza perfumada!
Cortar um, queria ir,
Pra trazer à minh'amada.

Mas logo senti a dor
Da mãe rosa destroçada...
Deixei-a! Troux' o odor,
Depois dela ser beijada.

Ficou a rosa a abrir,
A expandir sua beleza!
Não podia destruir
O curso da Natureza.

Modesto

2 comentários:

  1. QUERIDO AMIGO,

    LINDO!!!!! LINDO O QUE ESCREVES! DEUS TE ABENÇOE SEMPRE!

    MARIA JOSÉ

    ResponderEliminar
  2. Gostei muito que tivesse aproveitado a sugestão!É gratificante saber que, o que pensamos e dizemos, pode ativar sentimentos e vontades que orientam ou condicionam o nosso interlocutor...e o motivam, até!!!
    Obrigada pela gentileza...que me envaideceu. Senti o perfume da rosa que não colheu...ao ler o seu belo poema!!! O Modesto é indissociável da poesia que escreve e nos deleita!!!

    ResponderEliminar