Follow by Email

terça-feira, 23 de agosto de 2011

SENTE A VIDA

Abre a porta ao dia que t' acorda,
Abr' a janela ao sol qu' irradia,
Vai para o jardim, salta a sua borda,
Enche-te da luz do sol deste dia!

Abre o peito ao que vais viver,
Olha pró céu e vê como é belo,
Grita tud' o que pretendes dizer,
Sente a brisa afagar teu cabelo!

Vais encontrar razões para viver,
Vais seguir o que queres escolher:
Discernimento pró teu caminhar!

Vê a 'strela que por ti irradia,
Aprecia o Sol que t' alumia:
Sente o fulgor de Quem te quer amar!

Modesto

2 comentários:

  1. Parabéns pelo soneto cheio de beleza e sentimento!

    ResponderEliminar
  2. «Sem comentários». Acabo de aprender que não encontrar palavras para comentar...um quadro, um monumento...um poema...pode ser o mais amplo e complexo estado de êxtase que nos cinge após a tomada de consciência da nossa vacuidade perante algo que nos deixa surpresos, cativos, porque transcende o nosso imaginário humano e compromete a nossa capacidade de lidar com a ARTE...aqui...no seu mais puro e universal estilo: a POESIA!!! Parabéns, Modesto!!!

    ResponderEliminar