sexta-feira, 6 de novembro de 2015

MÁGOAS RESTAURADAS


















Hoje quero escrever
Sobre páginas de mágoas,
Para que voltes a ler
A história das lágrimas.

'Stou no banco da memória
- Que nunca me falt' a tinta -
Pra 'screver tod' a história
Do amor-mágoa sucinta.

Entre folhas espalhadas
Qu' inundam meu coração,
Há mágoas derramadas
Com sabor d' expiação.

Dor em flor restauradas
Todas vieram verter
As lágrimas já passadas
Pr' em amor se converter.

Então, quero escrever
Em flores as minhas mágoas.
Vem ver, ao amanhecer,
Meus olhos secos de lágrimas!

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário

INCÊNDIO VELOZ

Corre mais que um atleta, mais depressa E corre tão depressa como o vento... Atrás de si, fica a treva espessa: O ten...