quinta-feira, 20 de setembro de 2012

A VERDADE DO ESPELHO

















O tempo passou tão depressa!
Hoje, olhando-me ao espelho,
Vejo alguma rugas
E muito cabelo branco.
Até agora, culpava o  gene
Por estes estragos no meu corpo
E pelos estragos maiores na minha alma.
Mas, hoje o espelho me revela a verdade:
Minhas dores não são culpa de ninguém,
Apenas dores que trago no peito
Pela ausência de alguém perfeito
Que perdi com uma parte de mim.
E... andei perdido!
Culpava as minhas dores...
Hoje vi no espelho que é hora de parar:
Amanhã não vou acordar com os mesmos pesadelos,
Amanhã eu quero sonhar,
E as minhas dores, para sempre as matar,
Porque são somente minhas
E a vida doutros andam a estragar.
O espelho ensinou-me a dura realidade,
Devo aprender a andar com a minha verdade.
Hoje vou deixar a minha alma em paz,
Não volto mais a fazer como se faz...
E, em liberdade,
Vou ser feliz!

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário

DELÍRIO AO PIANO

A tecla, mais doce que um carinho Do meu piano ebúrnio, soluçava. Era como ouvir um sol mansinho, Em cada nota que ne...