quinta-feira, 10 de novembro de 2011

O APRENDIZ DA POESIA

Não rimas, mas atropelas as palavras:
És ainda amant' inexperiente!
Falta-te a música nas tuas lavras,
Pra um poema de rima excelente!

As palavras escondem uma matriz:
Métrica madura, sábia e quente!
Tu úsa-las orvalhadas de raiz,
Mas estropiadas em prosa plangente.

O rimar nada tem de misterioso:
Germina nas regras! É tão saboroso,
Quando são utilizadas com critério!

A poesia ainda te transcende:
Escreves bela prosa que se entende,
Mas poesia, pra ti, é um mistério!

Modesto

1 comentário:

  1. Acertou! Para mim, a poesia é coisa impossível de conseguir. Prosa, e fraquinha...
    Parabéns e agradeça a Deus o dom com que o dotou!

    ResponderEliminar

O CÉPTICO TAMBÉM PENSA...

Deus há muito desceu no Ocidente, Lá, por trás dos montes de rosa tingidos... Vejo o mundo que ante mim s' estende ...