terça-feira, 22 de novembro de 2011

JUVENTUDE SOFRIDA

Já fui jovem e com áspero destino,
Bem cedo, senti qu'a vida era dura,
Vivi momentos de alegre aventura
E corri muitas terras, qual peregrino.

Fui, às vezes, sujeito do desatino
Que considerava bom... que pouco dura,
E choro essas horas de sorte escura,
Por deixar, cedo, de ser menino.

Agora, tenho da vida outra visão
Dos sonhos que sonhava noite e dia:
Não me dão saudades, nem consolação.

Recordo que vivi muita alegria,
Mas que nunca a vivi com convicção:
Ninguém imagina o quanto sofria.

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário

VENDO-NOS AO ESPELHO

O espelho não me diz que envelheço, Enquanto andar junto da mocidade. Mas as rugas vêem meu rosto impresso... J...