domingo, 21 de abril de 2013

ÚLTIMA FLOR

























Era a última flor, casa vazia,
Pés molhados no escuro do chão...
Só havia uma flor, não sabia,
Fiquei sozinho com a solidão.

Meu último amor! Quem adivinha?
Só a vi breve na escuridão!
Ofereceram-m'aquela florzinha
Que agora jaz calcada no chão!

Era do último amor-perfeito,
A última flor e... Tudo desfeito...
Ouvi palavras que não percebia.

Entre fulgores e vozes passadas,
Na ternura de faces afagadas,
Minha flor à terra nua of'recia!

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário

DESCANSO DUM SONHADOR

A cabeça pendida docemente Em sonhos do sonhador inquieto: É o sonho o seu bordão clemente E repousa num descanso discr...