Follow by Email

domingo, 30 de outubro de 2011

LOUCO DA POESIA

Senhor, Tu que tens a luz d'alegria,
Vê este cego sem rumo nem emenda!
Vivo entre a tempestade e a tormenta:
Cego dos sonhos, louco da poesia.

Este é o meu mal: Sonhos e poesia
Que são força desta vida sofredora:
Carrego-os na alma p'la vida fora
E fazem-me viver em melancolia.

Cego e louco, neste mundo amargo,
Que até parece um caminho largo,
Na realidade, ele é muito curto!

Vivo entre alento e agonia,
Carrego as penas qu'apanhei num surto...
Ajuda-me a encontrar a alegria!

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário