NOITE DO MEU CANTO

















Quem foi que fez a noite do meu canto?
Foi o pastor que toca ocarina
Com muitos sons vibrantes como pranto,
Partitura agônica ferina!

A que hora exacta principia?
No labirinto negro? Raio d' hora!
Será na noite quando já é dia?
Já aparec' o raio da aurora!

Há-de sangrar inversa tessitura
A reflectir a dor de tant' agrura
Do rubro poente que traz ferida,

Nesses perdidos traços da ternura
Forjados em forma de escritura
Na amplidão da noite desmedida!

Modesto

Comentários

Mensagens populares deste blogue

NASCESTE, FILIPA !

A VIDA TEM OUTRO SABOR

SALVEMOS O PLANETA