Follow by Email

quarta-feira, 2 de agosto de 2017

NOITE DO MEU CANTO

















Quem foi que fez a noite do meu canto?
Foi o pastor que toca ocarina
Com muitos sons vibrantes como pranto,
Partitura agônica ferina!

A que hora exacta principia?
No labirinto negro? Raio d' hora!
Será na noite quando já é dia?
Já aparec' o raio da aurora!

Há-de sangrar inversa tessitura
A reflectir a dor de tant' agrura
Do rubro poente que traz ferida,

Nesses perdidos traços da ternura
Forjados em forma de escritura
Na amplidão da noite desmedida!

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário