Follow by Email

sábado, 19 de março de 2016

SONETO DE ALENTO

















Sinto no meu peito uma emoção
E carrego-a com contentamento.
Crio minh' inspirada ilusão
E faço uns sonetos de alento.

São só ideias de um pensamento
Junto aos desejos do coração
e transformo a vida do momento,
Quando me chega a voz da razão.

Assim vou escrevendo os meus versos,
Rimas contadas em sonhos dispersos,
Dando-os a quem os ler... eu consinto.

O que escrevo é pra sempre, puro.
Vou escrevendo temas que procuro
Que vão d' encontro àquilo que sinto.

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário