sábado, 12 de março de 2016

À ESPERA DA PRIMAVERA

















A Primavera espera-se, nada mais.
Eu esperei por ela a vida inteira,
Até que rompeu o raiar da alvorada,
Ficaram águas remansosas na ribeira.

Espero a Primavera - hei-la chegada!
E ela chegará  já neste amanhã
Quando  soarem os clarins da madrugada
Aos ouvidos do íntimo - sons da manhã.

Estes são os sonhos meus, surdos, nada mais!
À espera, vou olhando o horizonte
A ver quando o amor desponta para sempre.

Sonho neste amor nas brisas sazonais,
Quero ver a Primavera nascer no monte,
Mas desponte com o amor eternamente!

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário

VENDO-NOS AO ESPELHO

O espelho não me diz que envelheço, Enquanto andar junto da mocidade. Mas as rugas vêem meu rosto impresso... J...