quinta-feira, 29 de setembro de 2011

POEMA É FOGO

Poema é fogo que arde,
É amor que arde agora:
Arde sem fazer alarde
Como já fora outrora.

É canto de passarinho
E fogo que me devora:
É vibrante de carinho,
Serenata que aflora.

É um poema divino:
É mesmo fogo que queima.
É como um violino
Que geme, geme... mas teima.

Não é poema que passa
Na manhã ensolarada:
É um poema de raça,
Combustão arrebatada.

É verso que não se perde:
Voa incólume e puro,
Poema Vermelho-verde,
No silêncio do chão duro.

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário

O CORAÇÃO DO SER HUMANO

O coração de todo o ser humano Foi concebido para ter piedade, Pra ser doce no eterno desengano, Para olhar e s...