Follow by Email

sábado, 29 de janeiro de 2011

Comentários

24/01/2011 Raiana Transmontana

Olá, Modesto?!
Muito obrigado pela sua amizade que sei ser pura e sincera! Gostei muito do poema de agora e do anterior também!!! Fui ao seu blogue... fiquei maravilhada com a sensibilidade do poema "PEDIDO DE UMA FLOR" e do AUTOR que merece letra grande!!! Tenho pena de não ter conseguido fixar o comentário que escrevi. Mas lá chegarei em breve, prometo.
Gosto tanto dos seus poemas que tenho lido, quase devorado!!! O Modesto é assertivo oportuno... e tem muita sabedoria e um bom coração!!!
Raiana

Resposta 24/01/2011
Agradeço as sua palavras de incentivo. Mas, se quiser continuar, terá que desvendar o mistério. Dá-se o caso de eu não saber se estou a lidar com uma mulher ou com um homem e isso é muito desinteressante!
Cumprimentos,
Modesto

25/01/2011 Raiana transmontana
Olá Modesto?!
Pensar que a alma Raiana poderia pertencer a um homem!!! Não é notória a minha feminilidade? Sou bem mulher...e bem XXX. Escolher  um pseudónimo pode ser uma brincadeira provocatória ao imaginário que gosta de se enredar no mistério, agora...enganar os amigos com ambiguidade de género... eu nunca faria isso!!!
Então... estávamos no primeiro capítulo da novela e já queria saber o fim??? Um poema (ou um romance) começa e acaba com a mesma emoção... é uma sucessão de sentimentos e emoções que o tempo e a acção constroem!!!
Um abraço.
 Raiana

Resposta  25/01/2011

ESTE MISTERIO ASSUSTA-ME

Uma dúvida foi desfeita:
Raiana é uma mulher!
Fica ainda uma suspeita:
O que ocultar ele quer?

Pseudónimo é brincadeira,
Para enredar o mistério?!
Quer exibir a bandeira,
Alcanças qualquer desidério!

Eu sou uma alma poética,
O romance é um projecto.
Mas sempre vivi numa ética:
O ser verdadeiro e recto.

Um poema tem emoção!
É sucessão de sentimentos:
Pode chegar ao coração,
Mas isso traz alguns tormentos!

Assim, é melhor acabar,
Deixar tudo como está.
Eu não posso continuar
Um enredo "ao Deus dará".

Modesto

26/01/2011 Raiana transmontana

Bom dia, Modesto.
Já tive uma reacção muito parecida com a sua e quase tão injusta como ela!!! Estou triste pela expressão do seu sentir e por perder a oportunidade de inspirar e poder desfrutar da emoção de ler poemas tão belos e fascinantes como são os seus que já conheço!!!
A sua ética sempre foi aquela por que tenho guiado a minha vida e que nunca esquecerei. Em nada menti: sou raiana porque há 50 anos vivo na raia e sou tansmontana porque lá nasci. Disse-lhe que tinha um sobrenome burguês e, também aí, fui sincera: Sou XXX XX XXX.
Mistério desvendado, ilusão perdida, equívoco sanado!!!
Um abraço, agora com o coração batendo mais fraco mas, ainda assim, com muito prazer de o ter conhecido e inspirado,
Raiana.

Resposta 25/01/2011

 Boa noite caríssima amiga Raiana.
Peço desculpa por a ter provocado em demasia. Sei que fui injusto!  Mas, acredite: Tenho muito a agradecer-lhe, porque fez-me muito bem o sentir que a minha poesia é lida por alguém que a entende, que a aprecia, que a critica e que diz o que pensa. Para mim, nada mudou. Aumentou, em muito, a minha estima por si.
Para que não fique triste, envio-lhe este soneto:

ALMA SERRANA

Alma serrana, natureza pura,
Assim quero a vida que me resta.
Tenho saudades dessa vida dura...
Pois, ao anoitecer, há sempre festa.

Inda vivo nas rotas d'aventura...
Mas sei que minha 'strada é esta:
subida difícil, áspera, dura...
Mas urze branca, d'ouro a giesta!

A vida aqui é fácil d'entender:
Como chuva a cair, planta a crescer,
Pássaro a voar... Gente contente!

Vida difícil, mas honra sagrada!
São almas puras, gente abençoada...
- Quero cantar, elevar esta Gente!

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário