Follow by Email

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

ALMA

Nasce nas origens do Ser,
Límpida, de pura essência.
Quedas na pista do saber,
Deslizes na experiência.

Num corpo frio vai vivendo
Da graça que a alimenta.
Nesse corpo vai-se perdendo,
Na vida que a aturmenta.

Vive num pedestal de gelo,
Corre em total dissonância
Com sinais: Pedidos de zelo.

Dá-lhe vida a Providência,
Espera fundir-se, com ânsia,
Na etéria Existência.

Sem comentários:

Enviar um comentário