domingo, 28 de outubro de 2012

SEREI, PARA TI, NESTE OUTONO...


 

Serei, para ti, um verso de canção
No horizonte ao sol a brilhar.
Ou, então, a terna emoção
Que te fez um dia sonhar.
Serei, para ti, o amor calmo e tranquilo,
A chuva que cai serenamente,
Ou, então, serei tudo aquilo
que teu coração quer docemente.
Serei, para ti, o entardecer com promessas mil,
O luar a pratear o teu rosto
E serei aquele amor doce e gentil
Que a ti, por Deus, foi proposto.
Serei, para ti, a sensual madrugada,
Que entontece os desejos do coração.
E tu serás aquela amada,
Que quase se mata de paixão.
Serei, para ti, o ar que respiras,
O alimento que precisas pra viver.
E tu que me admiras,
Repleta de encantos, amor e prazer.
Serei, para ti, o calor do Outono,
Vendo o colorido das folhas a cair.
E nosso amor será o abono
Da paixão que continua a fluir.
 
Modesto
 
 


1 comentário:

  1. Dos mais belos poemas de amor que já li!!!O amor real, humano, capaz de se transcender aos desejos da sua amada, que ascende à perfeição... para se fundirem em labareda de paixão eterna!!!
    Profundo, Modesto...aprimorado!!!

    ResponderEliminar

TRAZER O "SER" LIBERTO

Da gota d' água dum carinho agreste Geram-se os oceanos da bondade. O coração qu' é livre e bom reveste Todo o...