Follow by Email

sábado, 6 de outubro de 2012

CRESCER E MUDAR

















Fui eu, esse menino que te espia,
Melancólico olhar, sereno rosto,
Postura fixa e todo bem composto...
No retrato que o tempo desafia.

Fui eu, na minha infância fugidia,
De prazeres ingénuos e com gosto,
Pena de sentir tão efémer' alegria...
Depressa foi trocado no seu oposto!                                  
                                                                                              
Fui eu, sim! Mas o tempo que me ultrapassa
E que tud' altera: Nem sequer deixou
Um cheiro a infância como 'smola escassa!

Fui eu, sim: E na figura só ficou
Um olhar desenganado na fumaça
Em qu'a criança inteira se mudou!

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário