Follow by Email

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

FUGIU A ESTRELA DA TARDE



















Noite tépida e tranquila,
Como uma noite de Estio;
Um raio de lua expelia
Luz entre o choupal esguio.

Na alameda se desenhava
Ornatos irregulares, belos,
Um ligeiro tremor agitava,
Vindo encontrar meu anelos.

Últimos clarões do crepúsculo
Rendilhava o horizonte,
Formando um belo arbúsculo,
Beleza de ver junt´à fonte.

Fugiu a Estrela da Tarde,
Fazendo efeitos de luz
No terreno... Parece que arde!
Clarão nos alamos reluz.

Eu fico esperando à lua
Que mostra inquietação:
Traz-me à lembrança a tua
Fisionómica paixão.

Esta noite é pra sonhar
Voluptuosas sensações:
Imaginar e sublimar
Em límpidas conjugações.

Modesto

Sem comentários:

Enviar um comentário