Follow by Email

quinta-feira, 3 de março de 2011

Recenção no Jornal "Voz Portucalense" e Revista "Fátima Missionária"

VOZ PORTUCALENSE: "CAMINHANDO PELA VIDA" de Modesto Nogueira, é um livro de poemas ao sabor dos dias. De recorte clássico, produção poética trabalhada. Poemas que cantam a vida, a felicidade e a gratidão pela dádiva da vida. É um livro de inspiração cristã, mas o autor não deixa de tecer críticas e reparos aos loucos tempos da actualidade em que "cada vez há menos tempo de ter tempo". O autor imprime à sua poesia uma nota de compromisso com a transformação da realidade e pretende ser actuante e participativo.
FÁTIMA MISSIONÁRIA: Em "CAMINHANDO PELA VIDA" de Modesto Nogueira, o autor chama à sua poesia "meditações". É um livro de profunda inspiração cristã: Por ele passa a vida, a Bíbla, a felicidade e a gratidão. Ao autor sobeja-lhe ainda tempo para debitar críticas e reparos, aqui e ali, aos loucos tempos da actualidade. Embora escrito em poesia, o livro é acessível a qualquer leitor. Os versos, rimados a uma cadência natural, são quase uma oração.                                                                                                     

E-MAIL NÃO IDENTIFICADO: Estou a ler o livro "POR TERRAS DE BEM VIVER" de Modesto Nogueira. Mas estou a lê-lo devagar! Até porque a poesia... não se devora, apesar do apetite e do seu gostoso paladar. Lê-se, relê-se, aprecia-se a fluidez e musicalidade, recriam-se sentimentos e emoções, identifacam-se empatias e partilha-se do prazer do poeta que a criou, a viveu e... a doou para que cada leitor a interprete e vivencie a gosto e a jeito. E, isto... leva tempo!
Estou a gostar e a gostar muito, particularmente da sinceridade e dedicação com que o autor esmiuça a sua gratidão para com o seu grande Mestre que foi o Padre João: «...abate os muros, quebra as algemas...», opções que hoje vinculam o autor a um carácter de intervenção e modéstia superior!
Mas... o meu poema de eleição é «Sonho numa noite de silêncio»! Sonho, aspiração, sabedoria, sofrimento, impotência, generosidade, sedução, fantasia, criatividade, fascínio, utopia: «...formar um novo mundo onde fosse sempre primavera / e a vida fosse como no princípio era,» !!!
Parabéns, Modesto Nogueira, por este belo livro!
Tenho a dizer mais uma coisa sobre este livro: Já não sei se Modesto Nogueira é um poeta em potência, ou um prosador poético, dos que nos encantaram na juventude, e relemos, no tempo em que já temos tempo, e achamos que é pouco tempo para apreender toda a dimensão e actualização premente da sua mensagem! Estou fascinado com o poeta e com o prosador romântico e nostálgico que descobri no Prefácio da sua autoria!
Tome como sinceras e sentidas as palavras de quem o está a ler, porque a sua poesia se impõe, como compromisso, a quem nela entra sem preconceitos de forma ou técnica, mas como amante dos sentimentos e emoções que nos faz sentir e viver. 


 

Sem comentários:

Enviar um comentário